As redes hidráulicas de aquecimento central, embora com pressões mais baixas que as de abastecimento, são também elas pressurizadas e podem ocorrer fugas de água com frequência, até porque a oscilação de temperatura pode originar mudanças de pressão e provocar fugas que podem ou não ser contínuas.

Teoricamente e por se tratar de uma rede de aquecimento que, colocada em carga mecanizada e submetida a temperaturas de por ex. 80º, até é suposto ser simples detectar uma fuga de água com recurso a contraste térmico, no entanto nem sempre assim é. Por norma estas redes hidráulicas são revestidas de uma manga térmica e esponjosa que isola e dificulta imenso a detecção e influenciar as margens de precisão.

É neste tipo de redes e apenas em alguns casos específicos, que a experiência do técnico é fundamental, o conhecimento de equipamentos de queima e o seu funcionamento podem ajudar na percepção, celeridade e redução de margens de precisão.