A água é dos bens mais preciosos que temos no mundo e dela dependem vários ecossistemas e toda a vida na terra, é por isso que devemos unir todos os esforço na poupança e preservação deste bem natural. As fugas de água, são uma séria ameaça e muito se tem investido no estudo e criação de ferramentas que permitam identificar rupturas nas nossas redes de abastecimento de água domésticas.
Considerando que 1 gota de água por segundo dá 1.7L por hora, 40L por dia e 1224L por mês, estamos a falar de uma perda considerável com apenas um microfuga.

O processo de detecção de fugas em redes de abastecimento doméstico difere de outros tipos de redes hidráulicas, devido nomeadamente aos caudais e pressões de serviço a que estão sujeitas. Teoricamente, seria mais simples detecção uma enorme fuga em um ramal público cujo o caudais e pressões são elevadíssimas do que uma pequena fuga em uma rede doméstica.

Existem inúmeros factores que facilitam e ou dificultam a detecção de uma fuga na rede de abastecimento entre eles destacam-se: o material utilizado na canalização, a extensão da rede, a profundidade das tubagens, a tempo de vida da construção, os revestimentos de argamassas, mosaicos, soalhos e outros, e ainda o mais importante, os seccionamentos da rede. Uma rede sem seccionamentos pode mais do que triplicar o tempo da intervenção, para não falar em válvulas de seccionamento que pelo seu tempo de vida deixaram de ser estanques e por isso obsoletas.

Detectar uma fuga de água pode ser um trabalho de meninos ou uma obra de engenharia. Existem fugas que só se manifestam mediante certas circunstâncias. Se considerarmos que existem oscilações de pressão e que a águas e os materiais dilatam com a temperatura, podemos facilmente encontrar fugas que só se manifestam nestas condições sendo por vezes complicado reproduzir o erro e provocar o derrame.

Embora se utilizam diversos métodos de detecção, o sistema de Ultrassons (hr) é por norma utilizado para despistar e confirmar os indícios dos restantes métodos e também reduzir ao máximo a margem de erro na detecção. Ora se por vezes se revela uma tarefa difícil detectar uma fuga, mais complicado ainda é reduzir ao máximo a margem de erro.

90% das fugas são detectadas com uma margem de precisão de até 1m2 mas não é de todo impossivél ocorrerem situações em que a margem vai até 2,3,4,5m2 ou mais. O desconhecimento do percurso das tubagens e dos materiais que se encontram por debaixo dos revestimentos e a facilidade em que o som irradia nos mesmos pode simplesmente provocar um som mais elevado em um ponto mais distante do epicentro da fuga.

Como detectar fugas em Redes de Abastecimento de água:
Para detectarmos fugas de água nas redes de abastecimento, unimos ao melhores equipamentos os técnicos mais experientes e com vontade de evoluir, porque no percurso é uma aprendizagem constante e, não nos limitamos em pôr em prática o conhecimento mas também o empenho necessário para melhorarmos a cada dia. Para isso trabalhos, e cada fuga detectada é uma realização pessoal e institucional.